Quem deve fazer uma prótese de quadril?


Há algum tempo, a principal indicação para prótese do quadril era o alívio da dor articular incapacitante em pacientes com mais de 65 anos. Porém, quando se observou o sucesso notável deste procedimento, as indicações da prótese de quadril foram ampliadas para incluir outras situações. A faixa etária de 60 a 75 anos, que era considerada ideal para a prótese, foi expandida. Com o envelhecimento saudável da população, muitos pacientes acima dos 75 anos estão se tornando candidatos para essa cirurgia.


Antes de se indicar uma prótese de quadril, são recomendadas medidas conservadoras incluindo perda de peso, tratamento com analgésicos, modificações nas atividades do paciente e, possivelmente, o uso de um apoio (bengala). Essas medidas muitas vezes aliviam os sintomas o suficiente para tornar uma cirurgia desnecessária ou, ao menos, postergá-la por um período significativo.


A cirurgia é justificada se, apesar dessas medidas, o paciente tem queixa de dor no quadril a noite e com movimento ou sustentação do peso de maneira incômoda o suficiente para impedir que consiga trabalhar ou realizar as suas atividades da vida diária.


Dor na articulação do quadril na presença de desgaste visível nos exames de raio-x e ressonância são a principal indicação para a cirurgia. Pacientes que mesmo com limitação de movimento, tenham pouca ou nenhuma dor no quadril não são candidatos para prótese.


Pacientes que tem indicação de cirurgia nos dois quadris não a devem fazer na mesma cirurgia. O ideal é programar duas cirurgias diferentes, sendo a segunda após a reabilitação da primeira. A exceção é quando o paciente apresenta dor e limitação tão intensas que não conseguirá reabilitar o lado operado.


Vale lembrar que antes de planejar uma cirurgia de quadril o paciente deve passar uma investigação clínica apaurada para detectar e controlar doenças que possam prejudicá-lo durante a cirurgia ou na reabilitação. Busque sempre orientação especializada.