Osteocondroma

É um tumor ou um osso normal?

O osteocondroma ou exostose óssea é uma protuberância que aparece na superfície dos ossos longos de crianças. Normalmente surgem na primeira infância próximos às articulações do joelho, ombro ou quadril.


Quando um pedaço da cartilagem normal de crescimento se prende na lateral do osso, esse passa a crescer em uma direção perpendicular ao osso ou na direção oposta à articulação.


Normalmente isso não causa dor ou qualquer sintoma no paciente, porém, quando o osteocondroma cresce perto de um nervo, pode comprimí-lo e provocar desconforto, formigamento e dor.


A forma mais comum de diagnosticar o ostecondroma é após uma batida acidental no local onde ele vinha crescendo. O paciente realiza uma radiografia para investigar a batida e descobre o osteocondroma. Mas ele não tem relação com o trauma em si.


O osteocondroma pode crescer, mas isso não significa que está se tornando um tumor maligno. É importante, uma vez detectado o osteocondroma, que ele seja acompanhado periodicamente pelo ortopedista oncológico.


Os principais sintomas que podem sugerir que um osteocondroma está virando um tumor maligno são:

-aparecimento de dor (sem outras causas como a compressão de um nervo ou uma batida no local);

-crescimento do tumor após a maturade do paciente (enquanto a criança crescer o osteocondroma também vai crescer);

-alargamento da capa de cartilagem que recobre a protuberância óssea. Na infância essa cartilagem é espessa, mas após o termino do crescimento ela reduz seu tamanho.


Quando encontramos um osteocondroma revestido por cartilagem com mais de 2cm de espessura no paciente adulto, isso pode representar o processo de transformação maligna do tumor. O melhor exame para avaliar esse processo é a ressonância magnética do local.


O ostecondroma isolado é uma alteração do desenvolvimento da criança. Pode ocorrer praticamente em qualquer osso e não possuiu relação genética. Existem, porém, pacientes que apresentam múltiplos ostecondromas. É a chamada osteocondromatose múltipla. Essa é uma doença genética, causada pela supressão dos genes EXT1 ou EXT2.


É uma doença autossômica - ou seja, não é relacionada aos cromossomos sexuais - dominante, e pode ser transmitida aos filhos dos pacientes portadores desses genes, tanto meninos quanto meninas.


A osteocondromatose apresenta sintomas mais exuberantes do que o tumor isolado. O paciente pode apresentar deformidade nos membros, baixa altura no final do crescimento, alterações estéticas chamativas e o risco de transformação em tumor maligno é maior.


Esses pacientes precisam ser monitorados mais de perto pelo ortopedista oncológico.


#osteocondroma #condrossarcoma #prevenção #diagnosticoprecoce