skip to Main Content

Dor no Joelho: Quando devo realizar uma consulta médica para investigá-la?

Dor no Joelho | Dr. Davi Bellan

A dor no joelho é um problema comum: em algum momento da vida, a maior parte das pessoas enfrentará desconforto nesta articulação. A boa notícia é que a maioria das dores no joelho não estão relacionadas aos problemas mais graves. No entanto, algumas lesões e doenças significativas podem se manifestar como dor no joelho.

Quando a dor no joelho é intensa ou persistente, pode afetar significativamente as atividades diárias, esportivas e a qualidade de vida em geral.

Quando devo realizar uma consulta médica para investigar uma dor no joelho?

É importante procurar atendimento médico para dor no joelho nos seguintes casos:

  • Dor intensa ou insuportável: Se a dor no joelho for muito forte e não melhorar com repouso, compressas frias ou analgésicos comuns.
  • Inchaço ou deformidade: Se houver inchaço significativo, vermelhidão ou deformidade no joelho, pode ser sinal de uma lesão mais grave ou inflamação que requer avaliação médica.
  • Incapacidade de movimentar o joelho: Se você não conseguir mover o joelho ou suportar peso sobre a perna afetada.
  • Estalos ou rangidos: Se você ouvir sons anormais, como estalos ou rangidos, ao mover o joelho, conhecidos como crepitação aumentada, pode ser indicativo de uma lesão de cartilagem.
  • Sintomas sistêmicos: Se a dor no joelho estiver acompanhada de sintomas como febre, calafrios, perda de peso inexplicável ou fraqueza muscular generalizada, pode ser sinal de uma condição mais grave e deve ser investigado.
  • Dor persistente ou recorrente: Se a dor no joelho durar por mais de uma semana, mesmo após tentativas de tratamento caseiro e repouso, ou se for um problema recorrente.

Como é feito o diagnóstico da causa?

Anamnese

O médico fará perguntas detalhadas sobre o início da dor, sua localização, intensidade, duração e se há algum fator desencadeante ou aliviador. Além disso, o histórico médico, esportivo e de lesões anteriores também será levado em consideração.

Exame físico

Durante o exame físico, o joelho será examinado, verificando a presença de inchaço, vermelhidão, deformidades ou sinais de instabilidade. Também será avaliado a mobilidade, força e sensibilidade da articulação, além de ser realizado testes específicos para identificar possíveis lesões nos ligamentos, meniscos ou cartilagem.

Exames de imagem

Dependendo dos achados da anamnese e do exame físico, exames de imagem podem ser solicitados para obter mais informações sobre a causa da dor no joelho. Esses exames podem incluir raio-X (para avaliar alterações ósseas ou artrite), ultrassom (para avaliar tecidos moles, como tendões e bursas), tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) (para avaliar danos em ligamentos, meniscos, cartilagens e outros tecidos moles).

Exames laboratoriais

Em alguns casos, exames de sangue ou análise do líquido sinovial (líquido presente dentro da articulação do joelho) podem ser realizados para identificar infecções, doenças autoimunes ou outras condições sistêmicas que possam estar causando a dor no joelho.

Após a avaliação completa e a realização dos exames necessários, poderá ser determinada a causa da dor no joelho e o tratamento mais adequado para cada caso. O tratamento pode variar desde medidas conservadoras, como repouso, fisioterapia e uso de medicamentos, até procedimentos (minimamente invasivos ou não), dependendo da gravidade e da causa da dor.

É possível aliviar a dor no joelho com uma infiltração?

Sim, é possível aliviar a dor no joelho com uma infiltração, que consiste na injeção de medicamentos diretamente na articulação afetada.

As infiltrações no joelho são frequentemente utilizadas para tratar a dor e a inflamação causadas por condições como artrite, lesões nos meniscos, tendinites ou bursites. Os casos de artrose, doença consequente do desgaste da cartilagem da articulação, também são muito bem aliviados com as infiltrações realizadas nos nervos sensitivos do joelho.

Dor no Joelho: Infiltração | Dr. Davi Bellan

Os medicamentos mais comuns usados nas infiltrações incluem:

  • Ácido hialurônico: O ácido hialurônico é um componente natural do líquido sinovial, que lubrifica e amortiza a articulação do joelho. Injeções de ácido hialurônico, também conhecidas como viscossuplementação, podem ajudar a melhorar a lubrificação e a função da articulação, aliviando a dor em pacientes com osteoartrite do joelho e lesões nas cartilagens. Os efeitos das injeções de ácido hialurônico podem durar de alguns meses até um ano e costumam ser repetidas anualmente.
  • Corticosteroides: Os corticosteroides, como a prednisona ou a triancinolona, são medicamentos anti-inflamatórios potentes que podem ajudar a reduzir a inflamação e aliviar a dor no joelho. Essas infiltrações geralmente proporcionam alívio rápido e podem ser eficazes por várias semanas ou meses. No entanto, o uso frequente de corticosteroides pode levar a efeitos colaterais, como enfraquecimento dos tendões e cartilagens, por isso, as infiltrações são geralmente limitadas a situações especiais como a artrose.
  • Plasma rico em plaquetas (PRP): As infiltrações de PRP consistem na aplicação de uma concentração de plaquetas e fatores de crescimento derivados do próprio sangue do paciente. Essas substâncias têm propriedades anti-inflamatórias e regenerativas, que podem ajudar a promover a cicatrização de lesões e a reduzir a dor no joelho. O PRP tem sido utilizado no tratamento de tendinites, lesões nos meniscos e lesões na cartilagem. Atualmente, essa modalidade só é permitida nos casos em que o paciente esteja inserido em um protocolo de pesquisa.
  • Aspirado de medula óssea (BMA): As infiltrações de BMA consistem na aplicação de células mesenquimais coletadas da medula óssea do próprio do paciente. Essas células têm propriedades regenerativas, que podem ajudar a promover a cicatrização de lesões e a reduzir a dor no joelho. O BMA tem sido utilizado no tratamento de tendinites, lesões nos meniscos e lesões na cartilagem além do tratamento de tumores benignos como o cisto ósseo unicameral. Essa modalidade muitas vezes é associada ao uso de acido hialurônico para potencializar os efeitos.

É importante lembrar que as infiltrações são uma opção de tratamento que deve ser considerada em conjunto com outras abordagens terapêuticas, como fisioterapia, exercícios de fortalecimento e mudanças no estilo de vida.

Além disso, a indicação e o tipo de infiltração apropriados devem ser determinados por um especialista, com base na causa específica da dor no joelho e nas condições clínicas do paciente.

Quais são as principais causas de dor no joelho?

Dor no Joelho: Causas | Dr. Davi Bellan
Lesões e doenças que causam dor no joelho. (Imagem editada: The Pain Relief Practice)

As principais causas de dor no joelho incluem:

  • Lesões ligamentares: Lesões nos ligamentos do joelho, como o ligamento cruzado anterior (LCA), o ligamento cruzado posterior (LCP), o ligamento colateral medial (LCM) ou o ligamento colateral lateral (LCL), são comuns, principalmente em atletas e pessoas que praticam esportes de alto impacto. Essas lesões podem variar de estiramentos leves a rupturas completas.
  • Lesões nos meniscos: Os meniscos são cartilagens em formato de meia-lua que agem como amortecedores entre o fêmur e a tíbia. Lesões nos meniscos podem ocorrer devido a movimentos de torção ou impacto durante atividades esportivas, ou como resultado do desgaste ao longo do tempo.
  • Tendinites: A inflamação dos tendões ao redor do joelho, como o tendão patelar ou o tendão da pata de ganso, pode causar dor e inchaço. A tendinite geralmente ocorre devido ao excesso de uso, tensão repetitiva ou trauma.
  • Bursites: A inflamação das bursas, pequenas bolsas de líquido que ajudam a reduzir o atrito entre os tecidos do joelho, pode causar dor e inchaço. A bursite geralmente ocorre devido à pressão prolongada, trauma ou infecção.
  • Osteoartrite: A osteoartrite é o desgaste da cartilagem articular, resultando em dor, inchaço e rigidez no joelho. A osteoartrite é mais comum em pessoas idosas e pode ser agravada por fatores como obesidade, lesões prévias e atividades de alto impacto.
  • Artrite reumatoide: A artrite reumatoide é uma doença autoimune que causa inflamação crônica principalmente nas pequenas articulações das mãos, punhos e pés, podendo em alguns casos incluir o joelho, levando a dor, inchaço e rigidez.
  • Fraturas: Fraturas nos ossos que compõem o joelho, como o fêmur, a tíbia ou a patela, podem causar dor intensa e incapacidade de movimentar a articulação.
  • Luxação da patela: A luxação da patela ocorre quando a rótula (patela) desliza para fora de sua posição normal, causando dor e inchaço no joelho. É mais comum em pacientes que apresentam frouxidão dos ligamentos do corpo.
  • Síndrome da banda iliotibial (ITB): A síndrome da banda iliotibial ocorre quando a banda de tecido que se estende desde o quadril até a parte externa do joelho fica inflamada, causando dor na parte lateral do joelho. Essa condição é mais comum em corredores e ciclistas.
  • Infecções: Infecções na articulação do joelho, como artrite séptica, podem causar dor intensa, inchaço, vermelhidão e febre.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
plugins premium WordPress